Suzane Von Richthofen seduziu médico e promotor na cadeia

desta quinta-feira, 11/7, recebeu o repórter investigativo Valmir Salaro e o historiador Boris Fausto para falar de crimes que ganharam notoriedade e causaram impacto, e até mesmo encanto em uma parcela da sociedade. Galeria de Cristal, os dois Crimes da Mala, o Crime da Rua Cuba e casos mais recentes, como o Nardoni e Von Richthofen, foram lembrados no bate-papo com Pedro Bial. O jornalista questionou o poder de sedução de Suzane Von Richthofen, condenada há 39 anos pela morte dos pais, que conquistou gente graúda durante a prisão.

“Conheço duas histórias: de um promotor de justiça e um médico. O promotor de justiça se apaixonou pela Suzane, no interior de São Paulo, e chegava a pedir para a diretora da cadeia tirar a Suzane da cela e levar para o gabinete que ele montou no Ministério Público como se fosse boate, com som, luz, lanche para ela”, lembrou Valmir.

“Um médico, que trabalhava em presídio em São Paulo, foi denunciado por carcereiros, funcionários, dizendo que ele protegia muito a Suzane. Ele levava pastel para ela, levava ela na clínica dentro do presídio”, completou o repórter. Boris Fausto foi o primeiro a entrar na conversa. O historiador comentou por que alguns crimes seguem sendo lembrados por anos.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.