“A Segurança Pública sempre foi prioridade em minha agenda de trabalho”, afirma Zé Eliton

Tem candidato que promete melhorar a segurança como um passe de mágica, mas nunca fez nada para combater a violência”, afirma governador

Candidato à reeleição, o governador Zé Eliton afirmou nesta sexta-feira (14/9), em entrevista ao Jornal Anhanguera 1.ª Edição que as medidas e investimentos em segurança pública sempre foram prioridade em sua agenda de trabalho e que, reeleito governador, vai ampliar e aperfeiçoar as políticas públicas que vêm reduzindo a criminalidade no Estado. “A Segurança Pública sempre foi prioridade em minha agenda de trabalho, como vice-governador, como secretário de Segurança Pública e agora como governador, por isso criei o Batalhão de Terminais”, afirmou Zé Eliton.

Segundo dados divulgados na última quarta-feira pelo Observatório de Segurança, entre janeiro e agosto deste ano, os homicídios caíram 13,41%; as tentativas de homicídio reduziram 23,44%; os roubos de veículos caíram 32,42%; os roubos em comércio reduziram 46,77%; os roubos em residência tiveram queda de 37,22%. Além disso, dezoito quadrilhas especializadas em roubos a Bancos, nas suas várias modalidades, foram desarticuladas pelo Grupo Antirroubo a Bancos, Batalhão de Rotam, Comando de Operações de Divisas e Batalhão de Choque

Na entrevista para a TV Anhanguera. Zé Eliton (PSDB), candidato à reeleição, detalhou as medidas já adotadas e suas propostas para a Segurança Pública. Zé Eliton mostrou que quando comandou a Secretaria de Segurança Pública já era perceptível a curva descendente dos indicadores de violência no Estado, a exemplo do que mostram os últimos indicadores de criminalidade, divulgados nesta quinta-feira, 13, no Ranking Nacional de Competitividade, anunciado hoje em São Paulo, em que Goiás avançou seis posições no que diz respeito à segurança Pública.

Zé Eliton disse que no quesito segurança pública não existe “passe de mágica”. “Tem candidato que chega aqui e fala que vai resolver da noite para o dia, mesmo porque segurança é um tema complexo, que envolve sistema penitenciário, envolve a legislação brasileira. Tem candidato que está há 30 anos no Congresso Nacional e não se tem notícia de nenhuma lei que tenha feito em relação à segurança”.

O candidato tucano argumentou que, pelas próprias pesquisas que a Organização Jaime Câmara realiza, houve um “decréscimo significativo” no que diz respeito à preocupação do cidadão em relação à Segurança Pública, ao contrário de 2016, quando assumiu a pasta da Segurança, as pesquisas revelavam que mais de 70% das pessoas tinham como principal preocupação justamente a Segurança Pública, “hoje esse indicador caiu para menos da metade”.

Zé Eliton enfatizou que o estado avança no sentido de garantir aos cidadãos a “sensação de segurança”. Foi por isso, explicou ele, que foi criado o Batalhão de Terminais, para da segurança às pessoas que utilizam o Eixo-Anhanguera em Goiânia. “Nós reduzimos em 79% as ocorrências no Eixo-Anhanguera e em 53% em todas as plataformas de embarque e desembarque na Região Metropolitana de Goiânia”, afirmou Zé Eliton, ressalvando que tomou essa decisão política por ter andando muito de ônibus quando era estudante em Goiânia. “A minha primeira agenda como governador foi justamente estabelecer um trabalho para tranquilizar as pessoas que saem de cada todo dia, um dia após o outro”.

O candidato voltou a pregar que um dos maiores desafios do país, além do combate à criminalidade, diz respeito ao sistema prisional. Lembrou que esta semana os jornais noticiaram uma fuga em massa de detentos de um presídio de segurança máxima num estado no Nordeste brasileiro. “Esse é um fenômeno que existe em função de décadas de política deliberada e ideológica de desencarceramento”, reclamou, mostrando-se contrário ao uso de tornozeleiras eletrônicas, um modelo que a seu ver “incentiva a criminalidade”.

Em relação aos avanços do sistema prisional em Goiás, Zé Eliton lembrou que foram construídas as unidades de Anápolis, Formosa, reformada a de Jataí, em fase de conclusão a de Águas Lindas e outras três também no Entorno do Distrito Federal. Em seu plano de governo, contou, existe a previsão de desativação do Complexo Prisional Odenir Guimarães, em Aparecida de Goiânia, para construção de uma nova unidade, com capacidade para abrigar 2.836 detentos. Sobre a devolução de recursos do Fundo Penitenciário Nacional (Fepen), Zé Eliton garantiu que isso ocorreu em 2010, antes do governo de Marconi Perillo, por causa de “projetos mal feitos, mal elaborados”.

Sobre a proposta de aumentar para 80% o percentual de residências beneficiadas com o sistema de tratamento de água e esgotamento sanitário, prevista no plano de governo, o candidato tucano explicou que nos últimos anos houve grandes avanços. Hoje são 94% das cidades goianas abastecidas com água tratada e 58% das unidades residenciais de Goiás contam com rede coletora de esgoto. Também está em fase de construção de um




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.