Secretário lamenta morte de aspirante da PM

Áulus Rincon

“A sociedade e a imprensa precisam respeitar o trabalho destes valorosos homens. A morte de um policial atinge não apenas ele e seus familiares, mas toda a sociedade”. Assim o Secretário da Segurança Pública e Administração Penitenciária José Eliton lamentou no final da manhã de hoje a morte do aspirante a Oficial da Polícia Militar de Goiás Renato Montalvão Simões, 34, assassinado com uma facada no peito quando atendia uma ocorrência em Goiânia.

Lotado na 37º CIPM, responsável pelo patrulhamento na Região Central da Capital, Montalvão foi chamado por volta das três horas da madrugada desta sexta-feira para atender uma ocorrência em que um homem estaria quebrando móveis de uma residência na Rua 52. Quando os PMs chegaram no local, Francisco de Assis Fontes, 42, já havia danificado totalmente a casa, e estava colocando fogo nos imóveis.

No momento em que os policiais entraram na casa para negociar com ele, Francisco arremessou uma faca de açougueiro que atingiu o peito do aspirante. O PM ainda foi socorrido e levado para um hospital nas proximidades, mas morreu antes mesmo de ser atendido.

Dominado por outros policiais, Francisco Fontes, que aparentava estar embriagado, e sob efeito de drogas, foi dominado, preso e autuado em flagrante. A morte do militar, que era apontado como extremamente profissional e bastante educado, causou comoção nas redes sociais.

“Não apenas perdemos um irmão, mas deixamos de ter em nosso convívio um profissional extremamente capacitado e comprometido, e que tinha orgulho em vestir essa farda”, comentou o Assessor de Comunicação Social da PM, tenente coronel Ricardo Mendes. Sem filhos, e casado também com uma aspirante à Oficial, Renato Montalvão estava na Polícia Militar havia 13 anos, onde entrou como soldado.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.