Relator do pacote anticrime de Moro denuncia ter recebido ameaças

O senador Marcos do Val (PPS-ES) registrou boletim de ocorrência na Polícia do Senado e procurou a Presidência da Casa e o Ministério da Justiça para relatar ter recebido ameaças por um e-mail apócrifo. Segundo ele, o texto foi encaminhado a caixas de mensagem dele e de sua família e continha informações como endereços residenciais. Do Val associa a mensagem ao anúncio de que vai relatar um dos projetos do pacote anticrime enviado pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro, ao Congresso.

“Vamos cobrar da sua irmã! Já estamos com todos os dados e horários de toda a sua família e vamos sequestrar e estuprar sua irmã”, diz o texto recebido pelo parlamentar, acrescentando: “nos aguarde, vagabundo”.

Marcos do Val conta que não havia recebido ameaças antes e relaciona o episódio ao projeto do pacote anticrime.

— Isso ocorreu depois que comecei a publicar (nas redes sociais) que serei o relator. Não vou mudar de ideia. Eles não vão me intimidar. Minha preocupação agora é acalmar a minha família, que está muito preocupada — diz o senador.

O parlamentar afirma que comunicou o próprio Moro e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) e que eles já pediram que aos órgãos de inteligência da Casa e do Executivo que investiguem a origem das mensagens.

Código Penal

Marcos do Val relata a parte do pacote de Moro com alterações no Código Penal e em outras normas. Nesse texto, estão previsões polêmicas, como a prisão depois da condenação em segunda instância, o endurecimento do regime prisional e o “plea bargain”, que prevê a redução de penas em acordos com confissão de crimes.

Há ainda alterações que tratam de direito de defesa. Para especialistas, essas mudanças ampliam as situações em que policiais em serviço podem cometer excessos em operações sem serem punidos.

Fonte: O Globo




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.