Qual será o lugar de Neymar no panteão futebolístico?

Não tem como um fã de futebol olhar para Neymar e não sentir que seu talento já está sendo desperdiçado.

O ainda jovem talento de 27 anos, que deslumbrou as massas do mundo inteiro com suas atuações ainda como um franzino adolescente cheio de marra e disposição no Santos, trocou a Vila Belmiro pelo Camp Nou na Espanha com a esperança de se tornar uma grande estrela do futebol. Formando o trio MSN, composto por ele, Lionel Messi e Luis Suárez nos campos do Barcelona, é possível dizer que sua ascensão já era uma realidade em sua segunda temporada no clube.

Entretanto, as coisas mudaram para Neymar desde que ele ganhou, junto de Messi e Suárez, a Liga dos Campeões pelo Barça. Sua ambição que já era enorme ficou ainda maior uma vez que ele era reconhecido por muitos como o elo perdido entre o Barcelona que sempre batia na trave nas últimas edições do campeonato, e o time que consegue ganhar essas disputas nas horas chave.

Logo, ele poderia ser mais do que o coadjuvante do grande Messi. Ele não se sentiria confortável como “escudeiro” do argentino, como fez Suárez em sua ida para o clube espanhol.

Fonte: “Neymar attacking” por Ronnie Macdonald (CC BY 2.0)

Por isso, a mudança de ares, saindo de Barcelona para Paris. Mudou-se dos gigantes espanhóis para o grande francês com aspirações de grandeza que se encontram com o orçamento dos seus donos que governam o Qatar. 222 milhões de euros, uma multa rescisória que era vista como uma barreira para que Neymar não fosse embora, paga pelo Paris Saint-Germain sem nenhum rodeio.

Em Paris, Neymar não teria mais concorrentes. Finalmente haveriam garantias de que ele seria imortalizado nos campos de futebol e além. De figuras de ação a jogos de cassino online, seu rosto estaria estampado em várias formas de mídia.

Mas nem sempre as coisas correm como o planejado. Primeiro que o Paris Saint-Germain não pararia tão somente com a contratação de Neymar. Kylian Mbappé, visto como o novo talento sobrenatural do futebol, chegou ao clube na mesma janela de transferências por “apenas” 32 milhões de euros a menos que Neymar em sua mudança para o clube parisiense.

Depois disso, vieram as crises. Crises extracampo, onde ele ocupava colunas de fofoca de famosos por conta de seus relacionamentos e festas com os “parças”. Crises dentro de campo, na luta pelo comando dos vestiários com o atacante Edinson Cavani indo parar para a grama, para que todos pudessem testemunhar as cenas. E a crise com ele mesmo, enfrentando lesões e perdas de confiança.

Fonte: “Neymar | Copa Libertadores de America 2011” por Jimmy Baikovicius (CC BY-SA 2.0)

Neymar ainda é bem jovem. Apesar das lesões, é bem capaz que ele esteja em seu auge físico, considerando a progressão natural de um atleta de futebol. Sua técnica e visão apuradas também podem ajuda-lo a ter uma carreira longeva, como muitos outros antes dele conseguiram fazer.

Porém, Neymar a esta altura do campeonato já poderia ser bem mais do que ele é. Seu colega de clube, Mbappé, foi uma das figuras principais da conquista da Copa do Mundo do ano passado com a seleção francesa, com 19 anos de idade. Enquanto isso, Neymar na mesma competição ficou mais conhecido pela fama de “cai-cai” e performances bem abaixo do esperado.

É de se imaginar que no futuro, um Neymar mais maduro e consciente das suas próprias habilidades e limitações poderá reverter o quadro e virar a estrela que todos viram explodir em 2009 na Vila, onde Pelé também jogou. Mas no quadro atual, Neymar passa pelo risco de virar mais um daqueles talentos que não conseguem realizar seu potencial em cheio.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.