Piloto do Goiás Superbike bate no autódromo de Goiânia e morre HUGO

Welles Balbino passou direto em uma curva e bateu na barreira de proteção

Mais uma morte deixou o motociclismo brasileiro enlutado neste domingo (11), Dia dos Pais. Welles Lins de Carvalho Balbino morreu após acidente na terceira etapa do Goiás Superbike, realizado no Autódromo de Goiânia. O anúncio da morte foi feito pela Federação Goiana de Motociclismo, que chancela a competição.
O piloto disputava a categoria SBK Escola 1000cc quando passou reto numa curva, durante os metros finais da corrida, e foi de encontro à barreira de proteção. Welles foi socorrido ainda com vida pela equipe médica responsável pelo evento e levado ao Hospital de Urgências de Goiânia, mas sofreu uma parada cardiorrespiratória e não resistiu.
Welles Carvalho era empresário em Brasília e disputava competições no autódromo de Goiânia pela terceira vez, tendo iniciado a carreira na motovelocidade há apenas seis meses. De acordo com a equipe do piloto, não foi detectado nenhum problema técnico em sua moto. O óbito foi confirmado pela Federação de Motociclismo do Estado de Goiás, através de um comunicado divulgado na tarde desse domingo. Outras duas baterias de prova que aconteceriam neste domingo foram canceladas.

A última morte no Autódromo de Goiânia aconteceu na mesma Goiás Superbike, em 2015: na ocasião, João Carlos Sobreira foi a vítima fatal.

“É com imenso pesar que a Federação de Motociclismo do Estado de Goiás (FMG) comunica a morte do piloto Welles Lins de Carvalho Balbino, na tarde deste domingo (11/8), durante a 3ª etapa do Goiás Superbike, no Autódromo de Goiânia”, disse o comunicado.
“O piloto participava da categoria SBK Escola 1000cc e, na última volta, perdeu o controle na curva zero, batendo no guard rail. Welles Lins foi prontamente socorrido por uma equipe médica, contratada pelo evento, e encaminhado ao Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo). Na unidade de saúde, o piloto sofreu uma parada cardiorrespiratória e acabou falecendo”, seguiu. A organização do Goiás Superbike lamenta a perda e se solidariza com familiares e amigos do piloto. As outras duas baterias de prova que aconteceriam neste domingo foram canceladas. Welles Lins, que é de Brasília, participava das programações do campeonato goiano há dois anos, na categoria Track Day. Na atual temporada, ingressou na categoria Escola 1000cc, já tendo participado de outras duas etapas este ano”, finalizou.

Ano sombrio no motociclismo

O Goiás Superbike não é a mesma competição que o Superbike Brasil, que sofreu com duas mortes em 2019. Um deles foi Maurício Paludete, o ‘Linguiça’, e o outro é Danilo Berto, ambos em Interlagos. Desde 2017, são quatro o número total de mortes.
Como resposta a falta de segurança apresentada, as marcas presentes no certame começaram a tomar atitudes. A Yamaha anunciou sua saída da categoria, assim como a Honda. Entretanto, a segunda já comunicou que está de volta ao grid. Na sequência, a categoria anunciou mudanças para aumentar a segurança.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.