Operação Medusa apura esquema de corrupção envolvendo empresas que ganharam licitação asfáltica da Prefeitura de Firminópolis

Os policiais civis da Delegacia de Polícia (DP) de Firminópolis desencadearam, na manhã desta quinta-feira (11), a Operação Medusa. A investigação apura a ocorrência dos crimes de lavagem de capitais, peculato, organização criminosa e fraude a licitação, figurando como vítima a Administração Pública.

Durante a operação, foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão expedidos pelo Tribunal de Justiça de Goiás. Os mandados foram cumpridos na sede de duas empresas de construção civil, mais notadamente do ramo de asfaltamento, situadas no Park Lozandes, em Goiânia. Foram apreendidos computadores e celulares na sede das empresas. Não houve mandados de prisão cumpridos.

A investigação começou após a Polícia Civil receber informações de que duas empresas pretendiam fraudar um processo licitatório da Prefeitura de Firminópolis para construção e recapeamento asfáltico de ruas da cidade. Segundo uma testemunha, houve uma combinação entre uma das empresas e agentes públicos da Prefeitura a fim de que uma das concorrentes se tornasse a vencedora da licitação. A combinação teria ocorrido antes mesmo do início do procedimento licitatório. Das duas empresas alvo da Operação Medusa, uma delas venceu a licitação. Porém, a Polícia Civil descobriu que ambas funcionavam em Goiânia, no mesmo endereço e local. A suspeita é de que das duas empresas, uma delas funcionaria apenas “de fachada”.

A licitação da Prefeitura tinha valor médio de R$ 550 mil reais para execução das obras de asfaltamento e recapeamento em Firminópolis. O procedimento foi finalizado no ano passado e as obras foram concluídas pela empresa vencedora no início deste ano. Uma perícia do ramo de engenharia da Polícia Técnico-Científica constatou que a empresa desviou cerca de 50% do valor total da obra. O desvio de dinheiro público é estimado em cerca de R$ 300 mil, relativos a dois contratos celebrados com a Administração municipal.

A investigação é realizada pela equipe do delegado Tiago Junqueira de Almeida, da Delegacia de Polícia (DP) de Firminópolis. Segundo o delegado, nesta primeira fase da Operação Medusa são investigados agentes políticos da Prefeitura de Firminópolis e os proprietários das duas empresas alvos das buscas ocorridas hoje. As informações são da Polícia Civil.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.