OPERAÇÃO DECANTAÇÃO: AFRÊNI GONÇALVES E JOSÉ TAVEIRA GANHARAM A LIBERADE

A juíza federal Rachel Soares Chiarelli indeferiu neste domingo o pedido de prisão preventiva feita pelo Ministério Público Federal (MPF) contra José Taveira (ex-presidente da Saneago), Afrêni Gonçalves e Robson Salazar, ex-diretores da Saneago. Como a prisão temporária deles já terminou, os três foram soltos logo após a meia-noite desta segunda-feira (29/08). Os dirigentes da Saneago foram detidos pela Operação Decantação. Eles estavam detidos no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia e cumpriram os cinco dias relativos à prisão temporária.

O MPF pediu a prisão preventiva alegando que os acusados poderiam interferir em possíveis coletas de provas e novos depoimentos de funcionários da estatal de Goiás. Os três foram presos na quarta-feira durante a deflagração da Operação Decantação, da Polícia Federal e Ministério da Transparência, que apura desvios de verbas públicas dentro da Saneago.

O governador Marconi Perillo afirmou que o governo de Goiás apoia as investigações, mas considerou desnecessária a prisão dos acusados. Em nota, o presidente do PSDB goiano, o deputado José Vitti, condenou o que chamou de direcionamento das investigações. Afrêni é presidente do PSDB e está sendo acusado de usar recursos que eram da Saneago para pagar despesas de campanhas do partido.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.