Operação Decantação 3: novas prisões e mandados de busca e apreensão

Empresas prestadoras de serviço à Saneago são os alvos desta fase da investigação da Polícia Federal

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (4/4) a Operação Decantação 3, com objetivo de desarticular associação criminosa especializada na prática de fraude em licitações na Companhia Saneamento de Goiás – SANEAGO, através de empresas de fachada, com a participação de empresários e agentes públicos.

Cerca de 60 Policiais federais deram cumprimento a 3 mandados de prisão temporária e 15 mandados de busca e apreensão, expedidos pela 11ª Vara Federal de Goiás, nos municípios de Goiânia/GO e Inhumas/GO. Também foi determinado o afastamento da função pública de dois servidores da SANEAGO.

São alvos desta terceira fase, um grupo de 11 empresas prestadoras de serviços à SANEAGO suspeitas de fraudarem pelo menos oito procedimentos licitatórios na modalidade Carta Convite e oitenta e três contratações mediante dispensa de licitação, entre os anos de 2012 a 2018.

De acordo com as investigações, decorrente de análises de materiais apreendidos na primeira fase da Operação Decantação, foram criadas empresas de fachada para participarem dos processos licitatórios, cujos resultados eram fruto de ajustes entre os empresários participantes. Apenas quatro dessas empresas foram responsáveis pela execução de 61 obras no Estado de Goiás, entre os anos de 2012 a 2018.

Apurou-se que as fraudes foram realizadas à época com apoio de um membro da Comissão de Licitação e do então pregoeiro da Comissão Permanente de Licitação – CPL da SANEAGO.

Os crimes sob apurações são os de associação criminosa, peculato, corrupção passiva, corrupção ativa e fraudes em processos licitatórios, cujas penas somadas atingem 41 anos de prisão, sem prejuízo de demais implicações penais ao final da investigação.

Prisões

Suspeito de integrar organização criminosa que fraudava licitações na Companhia de Saneamento de Goiás (Saneago), o engenheiro José Vicente da Silva Júnior foi preso na manhã desta quinta-feira, 4, na terceira fase da Operação Decantação, em São Luís de Montes Belos.

De acordo com a Polícia Federal, José Vicente era membro da Comissão de Licitações da Saneago e sócio oculto em empresas favorecidas. Ao todo, 11 empresas foram beneficiadas no esquema, todas de fachada.

De acordo com o delegado Charles Lemes, para uma obra no valor de R$ 1,5 milhão, cerca de R$ 20 mil eram destinados à propina. O empresário Eduardo Henrique de Deus que também teve mandado de prisão expedido ainda não foi localizado e já é considerado foragido pela Polícia Federal.

Eduardo, conhecido também como Loverboy, já havia sido preso na primeira fase da operação em 2016. Ele foi apontado como sócio da empresa Red Comércio e Serviços de Eletrificação.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.