Najila tenta esconder que era garota de programa e ganhava R$ 300 por atendimento

O atacante Neymar não vai responder processo de estupro contra a modelo Najila Trindade . A delegada Juliana Lopes Bussacos, da 6.ª Delegacia de Defesa da Mulher, decidiu não indiciar o jogador do PSG por não encontrar provas suficientes.

“Não vislumbro elementos para o indiciamento do investigado, uma vez que as versões são conflitantes, com incongruências nas versões da vítima e, principalmente, nas provas apresentadas pela mesma”, disse a delegada no relatório final do caso.

A ausência de provas foi determinante para que Neymar pudesse se salvar. Najila, por exemplo, não entregou o smartphone que usava no dia do suposto crime na cidade de Paris, no mês de maio. A modelo alega que o aparelho celular sumiu. E, de acordo com reportagem da revista Veja , existe uma hipótese para o sumiço: Najila Trindade não quer revelar a vida que levava antes do episódio com o camisa 10 da seleção brasileira.

Segundo informações , ela trabalhou como garota de programa na Lotus Lounge, um spa adulto localizado na cidade de São Paulo, no qual atendia com o nome de Thayla e ganhava um cachê de R$ 300 por atendimento.

Katia dos Anjos, dona do espaço, não quis falar sobre isso.

Najila Trindade está sendo investigada pela Polícia Civil por comunicação falsa de crime e tentativa de extorsão de dinheiro do pai de Neymar. Atualmente ela mora na cidade de Ilhéus, na Bahia, juntamente com seu filho de sete anos de idade.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.