MP diz que Ronaldinho Gaúcho ‘ridiculariza a Justiça’

A defesa de Ronaldinho Gaúcho apresentou habeas corpus pedindo para a Justiça reverter a decisão que obriga a entrega do passaporte. O então ex-jogador e seu irmão, Roberto de Assis Moreira, tiveram o passaporte bloqueado devido descumprirem decisão em processo que apura crime ambiental.

Nesta última quinta-feira, 6 de dezembro, o subprocurador-geral da República, Brasílino Pereira dos Santos, disse que os irmãos erraram muito. Então, não haveria outra decisão a ser tomada. Entretanto, o texto apresentado pelo Ministério Público ainda afirmou que os irmãos “ridicularizam a Justiça”.

No parecer, o subprocurador enfatizou que várias medidas já foram tomadas. Portanto, o bloqueio dos passaportes foi a última decisão após o não cumprimento da Justiça. O advogado de defesa dos irmãos disse que o posicionamento do MP já era esperado. Mas, a defesa ainda aguarda que o julgamento final tenha outro resultado.

O habeas corpus da defesa foi para apreciação do ministro do Superior Tribunal de Justiça, Francisco Falcão.

Condenação

Ronaldinho Gaúcho e seu irmão foram condenados em um processo que está em vigor na Justiça do Rio Grande do Sul. Eles construíram um trapiche e canalizaram um riacho em um terreno da família às margens do Lago Guaíba. No entanto, a área é de preservação permanente em Porto Alegre.

Há cerca de quatro anos eles foram condenados, mas até agora não cumpriram sentença. Devido estarem ignorando a Justiça, o MP pediu a apreensão dos passaportes ou da carteira de motorista. A Justiça acatou o pedido.

Fonte: BRASIL NO ATO




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.