México vence a Jamaica e assegura a classificação antecipada

Gazetapress – O México já está nas quartas de final da Copa América. No início da madrugada desta quinta-feira, segundo o horário brasileiro, a equipe dirigida pelo ex-são-paulino Juan Carlos Osorio derrotou a agora eliminada Jamaica por 2 a 0, com gols de Chicharito Hernández e Oribe Peralta, e assegurou a sua vaga no grupo C.

Com o resultado, o México alcançou os mesmos 6 pontos da Venezuela, que, mais cedo, derrotou o Uruguai também por 1 a 0. Na primeira rodada, os mexicanos fizeram 3 a 1 sobre os uruguaios, enquanto os venezuelanos bateram os jamaicanos por 1 a 0.

A rodada derradeira da chave, na segunda-feira, portanto, servirá para definir o líder. México e Venezuela disputarão a ponta da tabela em Houston. Uruguai e Jamaica irão se despedir da competição continental em Santa Clara.

O jogoTentando contrariar o favoritismo mexicano, a Jamaica não se intimidou para atacar no Rose Bowl. Aos seis minutos, desperdiçou uma grande oportunidade de abrir o placar com Donaldson, que avançou sozinho pela direita, invadiu a área e bateu cruzado. Para fora.

O lance de perigo não assustou a torcida mexicana, que lotava o Rose Bowl. Embora a partida não se apresentasse fácil para a equipe tricolor, o público já acompanhava a troca de passes dos comandados de Juan Carlos Osorio com gritos de “olé” desde os dez minutos.

Não demorou para o México oferecer um motivo melhor para quem estava nas arquibancadas vibrar. Aos 17 minutos, Jesús Corona ficou a bola na esquerda, aproveitando que a defesa jamaicana parou, e cruzou novamente. Chicharito Hernández subiu e cabeceou no canto para abrir o placar.

O México até assumiu o controle do jogo após ficar em vantagem, porém não por muito tempo. Sem ter mais nada a perder, a Jamaica voltou a investir contra o gol defendido por Ochoa. E quase empatou. Aos 34, McAnuff fez boa jogada pela esquerda e cruzou rasteiro. McCleary apareceu livre para marcar o gol. E carimbou Yasser Corona.

A última grande chance do primeiro tempo também foi jamaicana. O México saiu jogando errado e, após um lance bem tramado pela direita, Michael Hector só não estufou a rede por causa de uma defesa providencial de Ochoa.

Disposto a levar menos sustos na segunda etapa, o México voltou do intervalo com uma postura ofensiva, mantendo a bola no campo de ataque na maior parte do tempo. Na defesa, contudo, ainda faltava a segurança que Osorio queria para a sua equipe.

Para tirar proveito das falhas mexicanas, a Jamaica trocou McAnuff por Binns. Do outro lado, Osorio respondeu com a entrada de Lozano na vaga de Jesús Corona. O que não mudou significativamente o panorama da partida.

Apesar de ficar mais com a bola, o México continuava exposto aos contragolpes da veloz Jamaica. Em um deles, aos 23 minutos, Donaldson teve outra excelente oportunidade para concluir cruzado, mas chutou para fora da entrada da área.

Pecar tanto diante do goleiro Ochoa pareceu desanimar a Jamaica. Mais centrado, o México conseguiu colocar a bola no chão e ainda empolgar a sua torcida vez ou outra. Como quando Chicharito, ovacionado, cedeu lugar para Oribe Peralta.

A substituição rendeu mais um gol ao México. Aos 35 minutos, após jogada de Lozano pela esquerda, a bola sobrou para Peralta finalizar cruzado. O goleiro Blake até se esticou, mas não alcançou. A Jamaica estava eliminada da Copa América.

FICHA TÉCNICA

MÉXICO 2 X 0 JAMAICA

Local: Estádio Rose Bowl, em Pasadena (EUA)

Data: 9 de junho de 2016, quinta-feira

Horário: 23 horas (de Brasília)

Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (BRA)

Assistentes: Gustavo Rossi (ARG) e Alexander León (COL)

Cartão amarelo: Watson (Jamaica)

Gols: MÉXICO: Chicharito Hernández, aos 17 minutos do primeiro tempo, e Oribe Peralta, aos 35 minutos do segundo tempo

MÉXICO: Ochoa; Dueñas (Molina), Néstor Araujo, Yasser Corona e Héctor Moreno; Rafa Márquez, Herrera e Layún; Raúl Jiménez, Chicharito Hernández (Oribe Peralta) e Jesús Corona (Lozano)

Técnico: Juan Carlos Osorio

JAMAICA: Blake; Watson, Mariappa, Morgan e Jermaine Taylor; Michael Hector, Williamson (Orgill), McCleary e McAnuff (Binns); Barnes e Donaldson

Técnico: Winfried Schafer




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.