ISTOÉ: Petistas visitaram país que hospeda servidores do Telegram cinco dias antes do vazamento

A Polícia Federal (PF) trabalha em várias linhas de investigação no caso dos hackers. Uma delas é saber se receberam ajuda do exterior. De acordo com a revista ISTOÉ, os agentes não acham “mera coincidência” que a ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, tenham ido à Rússia no dia 4 de junho, 5 dias antes do Intercept começar a vazar divulgar as conversas roubadas do celular do ministro Sérgio Moro. Afinal, os servidores do Telegram – onde Moro e os procuradores de Curitiba tinham as contas hackeadas – ficam na Rússia. É lá que mora Edward Snowden, o hacker parceiro de Glenn Greenwald no caso dos vazamentos de documentos secretos americanos. Snowden está asilado há 6 anos na Rússia e Glenn mora no Rio, onde produz o Intercept.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.