Homem retira pênis e mamilos para ter corpo 100% tatuado

O russo Adam Curlykale, 32 anos, é um cara que tem uma missão: ter 100% do corpo tatuado. E para chegar a tal marca, ele não mede esforços. Não MESMO! Ele retirou o pênis e os mamilos para deixar a pele livre para as agulhas. E cada vez mais se aproxima da marca.

Em sua epopeia bizarra ele já foi até longe demais. Seus olhos já são tatuados, por exemplo. E sua barba é descolorida para combinar com sua cor 100% grafite.

Sua obsessão com tatuagens começou quando ele teve câncer e ficou com manchas na pele. Para encobrir as manchas, ele pintou a pele de grafite, sua cor favorita. Ele então passou os últimos 12 anos tatuando o próprio corpo.

Seu vídeo mais recente mostra uma tatuadora preenchendo algumas lacunas de seu peito. Essa é uma preparação antes do próximo passo: as axilas e os pés.

Adam disse que não gostava de sua aparência adoentada e pálida. Por isso cobriu partes do corpo com tatuagens e, quando viu o resultado, descobriu uma nova paixão.

Quando sentiu que partes do seu corpo atrapalhariam na construção de sua nova aparência, ele decidiu removê-las. Por isso, pagou uma operação para remover o pênis, os testículos e os mamilos. Segundo informações, ele teve que ir ao México realizar as operações.

Ele afirmou na internet que faz parte de um grupo chamado “nulo”. Segundo ele, pessoas desse grupo não querem nenhuma parte que as identifiquem como homens ou mulheres.

“Eu sempre soube que era diferente do resto da sociedade”, disse ele no programa de TV polonês Second Face.

“Tenho uma visão específica para mim e faço isso passo a passo. A vida é tão curta que parei de me perguntar o que vai acontecer amanhã. A vida é aqui e agora”, filosofou ao The Sun.

O sentimento de viver o momento surgiu em Adam após ter sido diagnosticado com câncer no intestino grosso, há 10 anos, quando tinha 22. Ele venceu a batalha contra a doença, mas ficaram sequelas.

Com o sistema imunológico fragilizado, a pele de Adam começou a perder a pigmentação. Deprimido e com distúrbios alimentares, o russo chegou a pensar em suicídio.

“Não me aceitei e os outros não me aceitaram”, lembrou Adam. “As tatuagens permitiram me descobrir de novo. Fiquei lindo para mim”, completou.

Além de trabalhar como tatuador, ele também atua como psicólogo, cosmetologista, artista, barbeiro, cantor e modelo alternativo.

“Pessoas como eu não são bem representadas na mídia de massa”, explicou Adam, que atribui isso ao fato das organizações não se arriscarem na promoção das modificações corporais.

Apesar de pensar diferente, Adam não se vê tão fora da curva: “Não sou tão diferente de todos os outros. Como, durmo, choro e rio com todo mundo. Não sou melhor nem pior. Sou só eu e eu mesmo é o suficiente”.

Fonte: R7




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.