Governo de Goiás entrega à população o primeiro Centro Estadual de Atenção ao Diabetes do País

O governador José Eliton entregou à população goiana o Centro Estadual de Atenção ao Diabetes (Cead), o primeiro no País, na manhã desta quarta-feira, dia 27, na Avenida Anhanguera com a Alameda das Rosas, no Setor Aeroporto, em Goiânia. O Tesouro Estadual investiu R$ 1,5 milhão no Cead e arcará com mais R$ 400 mil mensais em custeio.

José Eliton disse que a obra vai contribuir, sobre todos os aspectos, com os portadores do diabetes, “desde as questões de natureza estratégicas até as questões de orientação, com a melhoria da qualidade da alimentação, com ações de prevenção ao diabetes”. Para ele, é importante destacar que este será o primeiro Centro de Atenção ao Diabetes do Brasil “a funcionar neste modelo que estamos estabelecendo. Além do tratamento, além das orientações, nós temos também, aqui, um centro de estudos para que nós possamos combater essa doença”.

O governador disse ainda sentir-se realizado por estar estruturando todo um complexo de saúde para o Estado de Goiás, “pois o meu foco é no cidadão, tanto é que lançamos o 3º Turno na Saúde e agora estamos zerando a fila de espera por cirurgias de catarata”, pontuou. O secretário de Estado da Saúde, Leonardo Vilela, enfatizou que “o nosso foco é investir na prevenção da doença e melhorar o padrão de vida dos portadores de diabetes, com a irradiação de conhecimento para todos os municípios do Estado”.

O vereador goianiense Jorge Kajuru, portador de diabetes, lutou para que o Centro Estadual de Atenção ao Diabetes fosse realidade em Goiás. Ele testemunhou que “essa data representa a maior alegria” de seus 57 anos de idade “como parlamentar e como cidadão, por fazer parte dessa obra, como criador, e por ter a participação espontânea do governador José Eliton, do secretário Leonardo Vilela, e antes, mesmo com todas as nossas divergências, pensando nos quase um milhão de pessoas com diabetes em Goiás”.

Kajuru declarou que, antes de qualquer diferença ideológica, o mais importante é que “nós soubemos separar os nossos conflitos, as nossas diferenças ideológicas, e pensamos num projeto que é histórico e que será um legado para o resto da vida. É o primeiro Centro de Diabéticos do Brasil, e com certeza será referência para outras capitais nos copiarem”.

Nas palavras do ex-governador Marconi Perillo, “esse é um dia histórico”, do qual ele participou ainda à frente do Governo do Estado, no início deste ano, ao estabelecer o contrato com o Idtech e com o HGG. Marconi ressaltou que o governo “está dando um grande passo na área da saúde porque é difícil uma família em Goiás que não tenha um diabético”.

Cead

O Cead ofertará serviços nas áreas de psicologia, fisioterapia, neurologia, enfermagem, serviço social, médica e nutricional, além de funcionar como um centro de pesquisa. O acompanhamento integral impedirá que as complicações decorrentes do diabetes se agravem, melhorando a qualidade de vida dos pacientes. A previsão é que o centro realize cerca de 2 mil atendimentos por mês. Outro diferencial do Cead é a cozinha experimental, na qual os pacientes receberão orientações para o preparo de suas refeições.

No Estado, o Ambulatório do Hospital Estadual Geral de Goiânia Dr. Alberto Rassi (HGG-AR) é a principal unidade de apoio aos diabéticos, ofertando cerca de mil vagas por mês para atendimento a pacientes com diabetes. O diabetes é um dos cinco problemas de saúde que mais matam no Brasil, causando diversos danos à saúde do paciente, como problemas cardíacos, AVC, hipertensão arterial e doenças renais.

Diabetes em números

O Ministério da Saúde informou que, em 2006, cerca de 5,5% da população brasileira adulta tinha o diagnóstico de diabetes. Esse número, que vem aumentado a cada ano, chegou aos 8,9% em 2016.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.