Goiatuba: idoso foi assassinado por que ganhou causa na justiça de R$100 mil

A equipe da Delegacia Distrital de Polícia (DDP) de Goiatuba prendeu cumpriu mandado de prisão temporária em desfavor de Pedro Medeiro Da Costa e Valdeci Rodrigues Bezerra (foto). O primeiro é executor e o segundo, mandante do homicídio contra um idoso de 81 anos de idade.

Os investigadores foram informados de que Francisco Bruno da Cruz, conhecido como “Sô Chico”, foi visto pela última vez no dia 08 de dezembro do ano passado dirigindo seu veículo Chevrolet Monza azul. Esse veículo foi localizado pelos policiais civis de Goiatuba em Bom Jesus. Durante as diligências, apurou-se que o suposto autor seria Pedro, morador de Goiatuba.

Ele foi localizado e, após breve entrevista, confessou ter matado Francisco e deixado o corpo da vítima em um matagal. A equipe da distrital foi até o local indicado e localizou uma ossada humana.
Questionado a respeito do motivo do crime, Pedro afirmou que recebeu uma proposta de Valdeci para que matasse a vítima em meados de dezembro. Pedro afirma que aceitou a proposta e executou a vítima com golpes na cabeça usando um pedaço de pau.

Ainda segundo as investigações, descobriu-se que a vítima tinha ingressado com uma ação de cobrança em desfavor de Valdeci e ganhou uma ação de aproximadamente R$100 mil. Esse teria sido o motivo que levou Valdeci a contratar Pedro para matar Francisco.

Na residência de Valdeci, foram localizadas três armas de fogo, fato que levou à sua prisão em flagrante por posse ilegal desses artefatos bélicos. O veículo da vítima, que havia sido vendido por Pedro em Bom Jesus, foi localizado e apreendido.

A vítima mudou-se para Goiás há vários anos, onde vivia sozinho, sem parentes, o que dificultou na coleta de informações. Pedro e Valdeci foram indiciados pelo crime de homicídio qualificado, com pena prevista de 12 a 30 anos de reclusão. Valdeci foi indiciado ainda por porte de arma de fogo de calibre permitido, com pena de 1 a 3 anos.

Após procedimentos, os presos foram recolhidos na Unidade Prisional de Goiatuba, onde ficaram à disposição da Justiça.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.