Goiânia: ela se passava por homem e aplicou vários golpes em mulheres na internet

A autônoma Bruna dos Santos Batista de Oliveira, de 29 anos, foi presa suspeita de se passar por homem em redes sociais para conquistar várias mulheres e aplicar golpes, pedindo dinheiro. Para conquistar as vítimas, ela mandava presentes caros, como um anel de brilhante avaliado em R$ 5 mil, e fazia declarações de amor. Uma das pessoas enganada teve o prejuízo de R$ 80 mil.

Segundo a delegada Mayana Rezende, responsável pelas investigações, os levantamentos a respeito do golpe começaram há cerca de um ano, quando duas vítimas procuraram a polícia. Porém, a suspeita é que o golpe era aplicado desde 2013 e causou um prejuízo total até o momento de R$ 130 mil.

“Ela pegou fotos de um homem na internet e criou um personagem chamado Fernando. Como Bruna, ela conhecia as vítimas, que muitas vezes queriam comprar um carro ou um apartamento, e dizia que tinha um amigo que queria vender. Aí ela começava a conversar, se passando por este homem, e as vítimas acabavam se apaixonando”, disse a delegada.

Enquanto isso, Bruna, por se dizer amiga do personagem criado, se tornava confidente das vítimas, conseguindo acesso a informações pessoais. Depois de um tempo de relacionamento virtual com as vítimas, a suspeita pedia dinheiro às vítimas se passando pelo suposto namorado, dizendo que estava doente e precisava pagar o tratamento de um câncer.

Em áudios enviados às vítimas, Bruna disfarçava a voz e, se passando por Fernando, muito doente, fazia declarações de amor. A polícia informou que Bruna, que usou pelo menos outros dois nomes além de “Fernando”, também mandava cartas e dava presentes caros às vítimas como forma de mantê-las apaixonadas e mostrar que realmente existia. Até o momento, cinco pessoas já procuraram a polícia. O prejuízo somado é de R$ 130 mil.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.