Ex-ministro Paulo Bernardo (PT) é preso em Brasília

Busca e apreensão na casa da senadora Gleisi Hoffman é realizada neste momento em Curitiba

A casa caiu também para o ex-todo poderoso nos governos Lula e Dilma Rousseff, Paulo Bernardo. A Polícia Federal acaba de colocar no camburão o marido da senadora petista, Gleisi Hoffmann. A imprensa nacional noticiou nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira a visita surpresa que a Polícia Federal fez a Paulo Bernardo em Brasília e à casa da sua esposa, a senadora Gleisi Hoffmann em Curitiba. Paulo Bernardo foi preso em Brasília, no apartamento funcional da esposa, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR). Ele é alvo do primeiro desdobramento da Operação Lava Jato em São Paulo e está envolvido em investigações que apontam o pagamento de propina de até 100 milhões de reais em contratos de prestação de serviços de informática no Ministério do Planejamento.

O caso também teria relação com os desdobramentos da Lava Jato, que apura um esquema do chamado “Fundo Consist”, empresa que teria atuado no desvio de recursos de empréstimos consignados do Ministério do Planejamento –que era comandado por Paulo Bernardo.

Também é alvo de buscas a sede nacional do PT, em São Paulo. Ao chegar ao local, a polícia só encontrou porteiros, já que os funcionários chegam às 8h30.

Advogados já foram acionados pelo partido para tentar acompanhar a operação. O presidente do PT, Rui Falcão, está embarcando para Brasília e deve manter a viagem.

Há fortes rumores de que ao menos um diretor do blog Brasil 247, tido como alinhado ao PT, também deve ser alvo da operação. Os próprios profissionais da página estão telefonando a advogados e amigos alertando sobre a possibilidade.

A Polícia Federal indiciou Gleisi Hoffmann (PT-PR) e o marido dela, o ex-ministro Paulo Bernardo, ao concluir o inquérito sobre as suspeitas de que dinheiro desviado da Petrobras abasteceu em 2010 a campanha ao Senado da parlamentar.

A defesa do ex-ministro disse que desconhece as razões da prisão, e que estranha porque Paulo Bernardo sempre se colocou à disposição das autoridades.

A PF afirma ter indícios suficientes contra Gleisi e o marido, o ex-ministro Paulo Bernardo, por suposto envolvimento em crime de corrupção.

As conclusões da Polícia Federal foram anexadas ao inquérito 3979, que tramita no Supremo Tribunal Federal , na Operação Lava Jato.

A PF entendeu que há indícios suficientes de que a campanha de Glesi recebeu R$ 1 milhão em propina. Um novo delator , Antonio Carlos Pieruccini, informou que transportou o dinheiro, em espécie, de São Paulo para Curitiba em quatro viagens e que entregou a quantia para Ernesto Kugler,  empresário que seria próximo de Gleisi.

Segundo a PF, as entregas ocorreram na casa de Kugler e em empresas das quais é sócio.

E que o empresário e o então tesoureiro da campanha de Gleisi, Ronaldo da Silva Baltazar,  se falaram por telefone pelo menos 25 vezes.

Segundo o relatório da Polícia Federal, ao qual a TV Globo teve acesso, o suposto pedido de dinheiro para a campanha de Gleisi teria sido feito ao ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa quando Paulo Bernardo era ministro do Planejamento do governo Lula e só porque o ex-ministro teria conhecimento do esquema de desvios na Petrobras.

Folha de São Paulo publicou foto da PF na porta da sede do PT em São Paulo




3 thoughts on “Ex-ministro Paulo Bernardo (PT) é preso em Brasília

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.