Ex-atacante Roni deixa a prisão em Brasília na noite deste domingo

Empresa de Roni é investigada por sonegação de impostos, falsificação de documentos e outras práticas criminosas

O ex-atacante Roni e os outros presos na operação Episkiros da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) foram soltos pouco mais de 24 horas após serem presos. Todos deixaram a carceragem da PCDF por volta de 21h30 deste domingo,26/05, depois de prestar esclarecimentos.

Leandro Brito, da MeuBilhete, que operava a venda de ingressos nas partidas com logística organizada pela empresa de Roni, também deixou a cadeia, e através de sua assessoria disse que não irá se manifestar sobre o caso. O presidente da Federação de Futebol do Distrito Federal, Daniel Vasconcelos, também foi preso na operação e ao deixar a prisão não prestou esclarecimentos

A operação Episkiros foi deflagrada durante a realização de Palmeiras x Botafogo, no último sábado (25), no Mané Garrincha, em Brasília. Foram cumpridos sete mandados de prisão e 19 de busca e apreensão em endereços de Brasília, Goiânia, Aparecida de Goiânia e Luziânia. Seis pessoas, incluindo Roni, foram presas durante o jogo sem que nenhum torcedor percebesse a ação da PCDF.

As sete prisões e os 19 mandados de busca e apreensão foram autorizados pela 15ª Vara Federal Criminal de Brasília. Seis prisões foram cumpridas no estádio e uma em Samambaia. Outros três jogos também realizados em Brasília estão sob investigação da polícia que suspeita de evasão de divisas, lavagem de dinheiro, falsificação de documentos e outros crimes.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.