Estudo comprova que piscinas públicas contém até 75 litros de urina

Piscinas públicas estão abarrotadas de urina segundo estudo de uma universidade do Canadá

Químicos da Universidade Alberta do Canadá coletaram amostras de água em 31 piscinas de clubes e hotéis , e depois calcularam a quantidade do adoçante artificial presente em vários alimentos, o acessulfame-k. Essa substância não é muito absorvida pelo organismo, portanto é liberada frequentemente na urina. A descoberta permite que, através da presença e da concentração na água de um adoçante artificial bastante comum em comidas processadas, o acesulfame de potássio, seja possível exatamente descobrir quanto xixi realmente está ali. Essa substância não é digerida pelo corpo humano – o que faz com que ela seja eliminada totalmente.

Os resultados revelaram grandes quantidades de acessulfame-k nas piscinas analisadas. Em uma das piscinas, que tinha aproximadamente 900 mil litros de água, foram encontrados 75 litros de urina. Outra constatação curiosa deste estudo é que a concentração de acessulfame-k nas piscinas era 570 vezes maior do que na água encanada. Segundo os autores do estudo, a urina, quando reage com o cloro, pode ter efeitos nocivos à saúde. A pesquisa comprova que, sim, as pessoas fazem xixi na piscina sem muita preocupação. Foram analisadas 31 piscinas diferentes ao redor do país – e o adoçante foi encontrado em todas elas.

Além das infecções através da urina, sabe-se também que alguns componentes do xixi, como a ureia, amônia e creatinina, podem reagir com alguns desinfetantes e levar a irritações nos olhos e no trato respiratório dos usuários de piscinas. Segundo recomendação médica é interessante que o banhista tome uma ducha de pelo menos um minuto após sair da piscina para amenizar os males do xixi. Se no Canadá a coisa é assim, imagine aqui no Brasil como é a situação das piscinas públicas.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.