Deputado Heuler Cruvinel quer que seja proibido dirigir fumando

O PL 8709/2017, de autoria do deputado federal Heuler Cruvinel trata sobre a proibição de dirigir fumando. A idéia com esse projeto é reduzir os riscos de acidentes no trânsito, causados por bitucas de cigarro acesas que caem dentro do veículo em movimento, desviando a atenção do motorista e incêndios nas estradas. Pela lógica da segurança, colocar o braço para o lado de fora do veículo ao segurar um cigarro e fumar e dirigir ao mesmo tempo poderia causar desvio de atenção do condutor em manobras e resultar em acidentes, assim como acontece com quem dirige segurando o celular com uma das mãos. Também é compreensível pensar que tais atitudes aumentam a possibilidade de distração do condutor no momento em que, por exemplo, ele acende um cigarro ou na tentativa de apagá-lo, caso o cigarro caia no interior do veículo. O procedimento mais seguro e indicado, como ocorre para os que desejam falar ao celular, seria também parar o carro em um local seguro para fumar

O fogo na vegetação que se inicia na beira das estradas é um grande problema em vários países. Traz como conseqüências acidentes pela redução da visibilidade devido à fumaça, remoção da cobertura vegetal e erosão, queimadas em áreas florestais preservadas e emissão de carbono, entre outros. Nesse artigo são analisados trabalhos feitos na Austrália e Nova Zelândia e dados da região de Paraty. Discute-se a necessidade de avaliações para a elaboração de modelos locais dos principais fatores relacionados aos incêndios de beira de estrada na região de Paraty e ações que possam levar à políticas públicas de prevenção e combate aos incêndios de beira de estrada.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) o número estimado de fumantes no mundo é de 1,6 bilhão. Essa enormidade de pessoas joga fora, de acordo com informações da Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT), 7,7 bitucas por dia. Ou seja, são cerca de 12,3 bilhões de bitucas descartadas diariamente.

A preocupação em relação aos números é grande porque um dos “esportes” mais praticados pelos fumantes é o “lançamento de bitucas”, que se familiarizou nas ruas de muitas cidades por todo o mundo, trazendo o terrível inconveniente das pequenas montanhas de bitucas em frente a bares, o que prejudica a cidade e o meio ambiente. No Estado de São Paulo, a lei antifumo, de 2009, agravou ainda mais esse problema, já que não é permitido fumar em ambientes fechados.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.