Bolsonaro se diz disponível para ajudar Moçambique após ciclone

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (21) que está disponível para ajudar a população moçambicana afetada pelo ciclone Idai, declarando estar também solidário com os povos do Zimbabué e Maláui.

“Ontem (quarta-feira) liguei para o presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, para prestar solidariedade ao seu país e às vítimas da devastação causada pelo ciclone Idai. Nos colocamos à disposição no que for possível. Me solidarizo com o povo do Zimbabué e Maláui, também atingidos pelo ciclone”, escreveu Bolsonaro na rede social Twitter.

O número de mortos confirmados subiu para 242 em Moçambique e 139 no Zimbabué, segundo dados oficiais hoje divulgados pela Organização das Nações Unidas (ONU).

As únicas estimativas conhecidas do Maláui continuam inalteradas, em 56 mortos e 177 feridos.

O chefe de Estado moçambicano, Filipe Nyusi, decretou o estado de emergência nacional na terça-feira e disse que 350 mil pessoas “estão em situação de risco”.

Moçambique cumpre hoje o segundo de três dias de luto nacional.

A Cruz Vermelha Internacional indicou que pelo menos 400.000 pessoas estão desalojadas na Beira, considerando que se trata da “pior crise” do gênero em Moçambique.

O Idai, com fortes chuvas e ventos de até 170 quilômetros por hora, atingiu a Beira (centro de Moçambique) na quinta-feira à noite, deixando os cerca de 500 mil residentes na quarta maior cidade do país sem energia e linhas de comunicação. Com informações da Lusa.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.