Barraco entre Ciro Gomes e Gleisi Hoffmann: as acusações vão de chefe de quadrilha a coronel oportunista

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, respondeu nesta terça (12), às acusações do ex-ministro Ciro Gomes (PDT) de que ela seria “chefe de quadrilha”. “Ciro Gomes é um coronel oportunista ressentido e covarde. Quando a conjuntura exigia sua presença, fugiu para Paris. Está à espreita de crises para se apresentar como salvador da burguesia e sistema financeiro”, escreveu Gleisi no Twitter.

Entenda o barraco entre Gleisi e Ciro Gomes

Depois de chamar Jair Bolsonaro de “garoto de 13 anos tuiteiro”, e o vereador Fernando Holiday (DEM-SP) de “capitão do mato”, Ciro colocou Gleisi Hoffmann no alvo e disse que a presidente do PT é a “chefe de quadrilha do Lula”.

– Ela é a chefe. Ela e o marido estão enrolados em tudo. Se quiserem me processar, já estou acostumado. Estou falando a verdade. Não vale me processar por dano moral. Me processe por calúnia que tenho direito a demonstrar. É só tirar certidões das acusações do Ministério Público. Quantos tesoureiros o PT tem? Estão todos presos. Lula apoiou Sérgio Cabral até o gogó. Quem nomeou Michel Temer vice, contra minha opinião? – disse o ex-governador do Ceará durante entrevista ao Valor Econômico.

Ele continuou o ataque à Gleisi e denunciou as práticas que acontecem dentro da cúpula do PT.

– Eu não pensava mais em ser candidato. Havia renunciado à vida pública e estava na CSN com um super salário. Renunciei a tudo para brigar. E fui agredido, caluniado, atropelado pelas costas por essa canalha da cúpula do PT. Isso é formação de quadrilha, organização criminosa. A cúpula, não a militância.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.